Distribuição do Comunicado Nacional de denúncia do OE capitalista do governo PS

19/12/2016

 

A PLP esteve hoje junto dos trabalhadores de call center da EDP, em Lisboa, distribuindo o Comunicado Nacional de denúncia do OE capitalista do governo PS, aprovado com o apoio dos parceiros de acordo parlamentar.

Registámos o interesse dos trabalhadores e saudamos as suas iniciativas de luta, nomeadamente as greves em Junho e em Janeiro do corrente ano e exortamos a que prossigam e intensifiquem acções de massas consequentes, no sentido de melhorarem as suas condições de trabalho e os seus salários, contra a precariedade e a extrema exploração a que estão sujeitos, pela mão das empresas de trabalho temporário e da própria EDP, que usa os expedientes da legalidade burguesa para se furtar às suas responsabilidades, terceirizando os serviços de call center. 

"O OE para 2017, ainda que incluindo algumas medidas de carácter social, terá um impacto despiciendo no combate à austeridade, à pobreza extrema, ao desemprego, à precariedade laboral e no abandono a que estão votados 300 mil trabalhadores desempregados e inscritos na SS, sem qualquer apoio social. Os reformados, que sobrevivem com pensões muito abaixo do limiar da pobreza e a quem foi prometido um aumento de dez euros, com grande alarido e demagogia, vêem esse aumento acabar reduzido a menos de metade, já que se pretende aplicar a medida apenas em Agosto de 2017. Às pensões mínimas destina-se um aumento ainda mais diminuto. O salário mínimo nacional, indicam-no as cedências reivindicativas, não ultrapassará miseráveis 557 euros. O OE não apresenta quaisquer soluções de combate à precariedade e desemprego entre os jovens, desemprego esse que atinge 30% desta faixa etária dos trabalhadores, não lhes perspectivando, assim, qualquer esperança num futuro digno."

 

 

 

Partilhe no Facebook
Partilhe no Twitter
Partilhe no Linkedin
Please reload